Brasileirão de 2024 é a edição com mais técnicos há pelo menos um ano no cargo nos pontos corridos

Paulo Nunes exalta Palmeiras de Abel Ferreira: "Maior geração da história do clube"

Paulo Nunes exalta Palmeiras de Abel Ferreira: “Maior geração da história do clube”

Em 2024, sete clubes iniciam o torneio com treinadores nesta condição: Bragantino (Pedro Caixinha), Criciúma (Cláudio Tencati), Fluminense (Fernando Diniz), Fortaleza (Juan Vojvoda), Grêmio (Renato Gaúcho), Palmeiras (Abel Ferreira) e Vitória (Léo Condé). É o maior número em uma edição do Brasileiro de pontos corridos, empatado com 2013.

Trabalhos mais longos da Série A

Treinador Time Dias no cargo
Abel Ferreira Palmeiras 1257
Juan Vojvoda Fortaleza 1069
Cláudio Tencati Criciúma 921
Fernando Diniz Fluminense 712
Renato Gaúcho Grêmio 588
Pedro Caixinha Bragantino 490
Léo Condé Vitória 429

O time com o técnico há mais dias no cargo é, justamente, o clube que mais apostou em trabalhos de longo prazo no Brasileirão desde 2003. Foram sete edições que o Palmeiras começou com um técnico com mais de um ano de trabalho. Abel Ferreira vai para o quinto Campeonato Brasileiro à frente do atual campeão. Quem está empatado nesse quesito com o Palmeiras é o Grêmio, sendo quatro deles com Renato Gaúcho.

Nesta edição do Brasileirão, Portaluppi vai igualar Muricy Ramalho e Mano Menezes, como os treinadores que mais tiveram trabalhos longevos no início da competição. Além das quatro vezes com o Grêmio, Renato também começou um Brasileiro estando há mais de um ano no cargo pelo Fluminense em 2008.

Fernando Diniz, Renato Gaúcho e Abel Ferreira, estão entre os técnicos há mais de um ano no cargo no Brasileirão de 2024 — Foto: Editoria de arte/ge

Mas o início com um técnico que conhece o time não significa, necessariamente, bons resultados. Das 67 vezes que o Brasileirão começou com um treinador há mais de um ano no cargo, terminou como campeão apenas seis vezes. Outros quatro terminaram o ano no cargo com títulos de Libertadores e Copa do Brasil.

O que aconteceu com times que começaram com técnicos há mais de um ano no cargo
Dados do Campeonato Brasileiro desde o início dos pontos corridos
Fonte: ge

A importância do trabalho de longo prazo

Para além dos números, o Espião Estatístico também ouviu o que os comentaristas do Grupo Globo avaliam como benéfico nas equipes que têm um técnico há pelo menos um ano no comando. Ana Thaís Matos, por exemplo, considera que os jogadores mostram evolução e amadurecimento no modelo de jogo, mas não só eles.

– Num campeonato de longos deslocamentos, pouco tempo de treinamento, o papel do treinador vai muito além das decisões de campo. Ele precisa conhecer bem o elenco, saber administrar desgastes físico e mental, problemas internos, etc. Ter mais tempo para dar sequência em bons trabalhos, isso é importante registrar, só faz bem para a evolução das equipes e, consequentemente, do nível de jogo no Brasil.

– Isso demonstra também amadurecimento na forma de pensar de alguns dirigentes. Quando o Fortaleza oscilou no Brasileiro em 2022, Vojvoda não caiu, o time entendeu as dificuldades enfrentadas por disputar tantas competições e o trabalho reagiu e seguiu levando alegria para o torcedor. Não é só manter técnicos, mas saber entender e acompanhar as evoluções e métodos de trabalho.

Vojvoda completa 200 jogos pelo Fortaleza, recebe homenagem e se emociona; assista

Vojvoda completa 200 jogos pelo Fortaleza, recebe homenagem e se emociona; assista

Eric Faria, que acompanhou de perto diversos trabalhos curtos e longos como repórter, ressalta que não é porque o técnico está há muito tempo que é certeza de sucesso. É preciso que o resultado acompanhe e compre mais tempo para que o treinador consiga implementar suas ideias.

– No Brasil não existe uma convicção pela permanência, existe resultado bom que garante a permanência. Dito isso, quanto mais se ganha, maior é a chance de o técnico permanecer mais tempo no clube. Temos bons exemplos aqui no Brasil. Eu destacaria o trabalho do Abel Ferreira, que talvez seja o técnico mais vencedor no futebol brasileiro nos últimos tempos, e que consegue, porque tem esse tempo, resolver problemas que talvez muitas mudanças não resolveriam. Ele perde jogadores e consegue suprir esses desfalques.

– Outro exemplo da permanência do Abel que foi muito importante para o Palmeiras: a forma como ele administrou o Endrick, todo o processo de crescimento do Endrick, da passagem dele das divisões de base para o futebol profissional, foi muito importante ter só um técnico ali. O Endrick vai sair do Palmeiras tendo trabalhado com apenas um técnico no profissional, o que é raríssimo no futebol brasileiro. E isso ajudou muito na formação dele.

“O Endrick tem essa aura que o Pelé também tinha: de saber quem ele é” ressalta Rizek

“O Endrick tem essa aura que o Pelé também tinha: de saber quem ele é” ressalta Rizek

Relembre abaixo todos os outros casos das demais edições dos pontos corridos. Na lista, você pode conferir a posição final do clube ao fim do Brasileirão e quando o técnico com trabalho longo saiu, caso tenha deixado a equipe durante a disputa do torneio.

2023: 4 clubes

  • Botafogo – (Posição final do clube: 5º | Luís Castro saiu depois da 12ª rodada)
  • Fortaleza – (Posição final do clube: 10º | Juan Vojvoda até o fim)
  • Palmeiras – (Posição final do clube: 1º | Abel Ferreira até o fim)
  • São Paulo – (Posição final do clube: 11º | Rogério Ceni saiu depois da 1ª rodada)

2022: 3 clubes

  • Bragantino – (Posição final do clube: 14º | Maurício Barbieri saiu depois da 37ª rodada)
  • Coritiba – (Posição final do clube: 15º | Gustavo Morínigo saiu depois da 22ª rodada)
  • Palmeiras – (Posição final do clube: 1º | Abel Ferreira até o fim)

2021: 2 clubes

  • América-MG, tinha subido – (Posição final do clube: 8º | Lisca saiu depois da 3ª rodada)
  • Ceará – (Posição final do clube: 11º | Guto Ferreira saiu depois da 18ª rodada)

2020: 3 clubes

  • Bahia – (Posição final do clube: 14º | Roger Machado saiu depois da 7ª rodada)
  • Goiás – (Posição final do clube: 18º | Ney Franco saiu depois da 4ª rodada)
  • Grêmio – (Posição final do clube: 6º | Renato Gaúcho até o fim)

2019: 6 clubes

  • Avaí, tinha subido – (Posição final do clube: 20º | Geninho saiu depois da 9ª rodada)
  • Cruzeiro – (Posição final do clube: 17º | Mano Menezes saiu depois da 13ª rodada)
  • CSA, tinha subido – (Posição final do clube: 18º | Marcelo Cabo saiu depois da 9ª rodada)
  • Fortaleza, tinha subido – (Posição final do clube: 9º | Rogério Ceni saiu depois da 13ª rodada)
  • Grêmio – (Posição final do clube: 4º | Renato Gaúcho até o fim)
  • Internacional – (Posição final do clube: 7º | Odair Hellmann saiu depois da 24ª rodada)

2018: 5 clubes

  • América-MG, tinha subido – (Posição final do clube: 17º | Enderson Moreira saiu depois da 12ª rodada)
  • Corinthians – (Posição final do clube: 13º | Fábio Carille saiu depois da 6ª rodada)
  • Cruzeiro – (Posição final do clube: 8º | Mano Menezes até o fim e campeão da Copa do Brasil)
  • Fluminense – (Posição final do clube: 12º | Abel Braga saiu depois da 12ª rodada)
  • Grêmio – (Posição final do clube: 4º | Renato Gaúcho até o fim)

2017: 3 clubes

  • Athletico-PR – (Posição final do clube: 11º | Paulo Autuori saiu depois da 2ª rodada)
  • Atlético-GO, tinha subido – (Posição final do clube: 20º | Marcelo Cabo saiu depois da 4ª rodada)
  • Santos – (Posição final do clube: 3º | Dorival Júnior saiu depois da 4ª rodada)

2016: 2 clubes

  • América-MG, tinha subido – (Posição final do clube: 20º | Givanildo Oliveira saiu depois da 5ª rodada)
  • Corinthians – (Posição final do clube: 7º | Tite saiu depois da 7ª rodada)

2015: 4 clubes

  • Atlético-MG – (Posição final do clube: 2º | Levir Culpi saiu depois da 36ª rodada)
  • Cruzeiro – (Posição final do clube: 8º | Marcelo Oliveira saiu depois da 4ª rodada)
  • Joinville, tinha subido – (Posição final do clube: 20º | Hemerson Maria saiu depois da 5ª rodada)
  • Sport – (Posição final do clube: 6º | Eduardo Baptista saiu depois da 26ª rodada)

2014: 3 clubes

  • Chapecoense, tinha subido – (Posição final do clube: 15º | Gilmar Dal Pozzo saiu na 6ª rodada)
  • Cruzeiro – (Posição final do clube: 1º | Marcelo Oliveira até o fim)
  • Palmeiras, tinha subido – (Posição final do clube: 16º | Gilson Kleina saiu na 3ª rodada)

2013: 7 clubes

  • Atlético-MG – (Posição final do clube: 8º | Cuca até o fim e campeão da Libertadores)
  • Botafogo – (Posição final do clube: 4º | Oswaldo de Oliveira até o fim)
  • Corinthians – (Posição final do clube: 10º | Tite até o fim)
  • Fluminense – (Posição final do clube: 15º | Abel Braga saiu depois da 9ª rodada)
  • Goiás, tinha subido – (Posição final do clube: 6º | Enderson Moreira até o fim)
  • Grêmio – (Posição final do clube: 2º | Vanderlei Luxemburgo saiu depois da 5ª rodada)
  • Santos – (Posição final do clube: 7º | Muricy Ramalho saiu depois da 2ª rodada)

2012: 5 clubes

  • Corinthians – (Posição final do clube: 6º | Tite até o fim e campeão da Libertadores e Mundial)
  • Coritiba – (Posição final do clube: 13º | Marcelo Oliveira saiu depois da 22ª rodada)
  • Palmeiras – (Posição final do clube: 18º | Felipão saiu depois da 24ª rodada)
  • Ponte Preta, tinha subido – (Posição final do clube: 14º | Gilson Kleina saiu depois da 25ª rodada)
  • Santos – (Posição final do clube: 8º | Muricy Ramalho até o fim)

2011: 1 clube

  • América-MG, tinha subido – (Posição final do clube: 19º | Mauro Fernandes saiu depois da 9ª rodada)

2010: 2 clubes

  • Corinthians – (Posição final do clube: 3º | Mano Menezes saiu depois da 11ª rodada)
  • Cruzeiro – (Posição final do clube: 2º | Adilson Batista saiu depois da 6ª rodada)

2009: 5 clubes

  • Avaí, tinha subido – (Posição final do clube: 6º | Silas até o fim)
  • Corinthians, tinha subido – (Posição final do clube: 10º | Mano Menezes até o fim e campeão da Copa do Brasil)
  • Cruzeiro – (Posição final do clube: 4º | Adilson Batista até o fim)
  • Palmeiras – (Posição final do clube: 5º | Vanderlei Luxemburgo saiu depois da 7ª rodada)
  • São Paulo – (Posição final do clube: 3º | Muricy Ramalho saiu depois da 6ª rodada)

2008: 3 clubes

  • Fluminense – (Posição final do clube: 14º | Renato Gaúcho saiu depois da 19ª rodada)
  • Portuguesa, tinha subido – (Posição final do clube: 19º | Vagner Benazzi saiu depois da 13ª rodada)
  • São Paulo – (Posição final do clube: 1º | Muricy Ramalho até o fim)

2007: 3 clubes

  • Grêmio – (Posição final do clube: 6º | Mano Menezes até o fim)
  • Santos – (Posição final do clube: 2º | Vanderlei Luxemburgo até o fim)
  • São Paulo – (Posição final do clube: 1º | Muricy Ramalho até o fim)

2006 – 0

2005: 2 clubes

  • Coritiba – (Posição final do clube: 19º | Antônio Lopes saiu depois da segunda rodada)
  • Juventude – (Posição final do clube: 14º | Ivo Wortmann saiu depois da 11ª rodada)

2004: 3 clubes

  • Botafogo, tinha subido – (Posição final do clube: 20º | Levir Culpi saiu depois da 2ª rodada) – Caíram do 21º ao 24º colocado
  • Palmeiras, tinha subido – (Posição final do clube: 4º | Jair Picerni saiu depois da 6ª rodada)
  • Santos (Posição final do clube: 1º | Emerson Leão saiu depois da quarta rodada)

2003: 1 clube

  • Grêmio (Posição final do clube: 20º | Tite saiu depois da 11ª rodada) – Caíram os 23º e 24º colocados

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *